Busca no Blog

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Homeland- 01x07- The Weekend (Review)

Se alguém ainda reclamava do ritmo de revelações ou do andamento da história de Homeland, depois desse episódio não pode fazer mais isso. Aquela dinâmica ( e e olha que eu não tinha nada contra ela) de fazer o mistério principal andar devagar, mostrando doses homeopáticas dos fatos, colocando em dúvida as reais intenções de Brody, com aquele debate, ele é ou não é um terrorista, e soltando pistas que dependiam da interpretação do espectador. Bem, tudo foi de certa forma finalizado e esclarecido, e o que parecia ser o embate principal da série também aconteceu. Eu não esperava isso. Não tão cedo. Haha.
>>>>> Spoliers Abaixo <<<<<
The Weekend teve dois focos principais(com dois casais ) e uma história pequena. Um dos dos focos se refere a Saul e Aileen, que depois da morte de Faisel foge para o México, mas já do outro lado da fronteira, ela é interceptada por Saul e outros agentes. Assim, escoltados pelo FBI, os dois fazem uma viagem de 30 horas. Durante essa viagem, ele se aproxima, tentando conseguir informações sobre os terroristas. Tenho que admitir, Saul me parece muito bom em interrogatórios e conseguir informações. De certa forma, ele tenta criar vínculos com Aileen, contando de seu passado, mostrando semelhanças entre os dois. O agente fala até de sua criação como judeu com uma disciplina rígida, e sem permissão de contato com as crianças da escola, o que fez com que ele odiasse a sua criação e religião. Aileen também se abre. Conversa sobre o relacionamento com Faisel, o preconceito do pai, e os motivos dela ter se aproximado dos terroristas. Esse vínculo acaba atingindo o seu objetivo, e Aileen faz uma revelação bem importante, que muda o rumo da série; Quanto a Saul, e aquela suspeita dele ser o espião infiltrado, talvez isso tenha sido amenizado, mas não houve nada que garantisse que é algo  infundado.
A família de Brody aparece em uma parte pequena. Dana volta a se rebelar com mãe, depois de Jess contar  que o pai sabe sobre o seu caso com Mike, e que tirou "um tempo" fora de casa. Ela ofende a mãe e é colocada de castigo. Mas depois de beber com amigos, a garota acabe se machucando. E ao voltar do hospital, ela encontra Mike cuidando das coisas em casa. Jess e ele conversam, e acabam tendo uma recaída, que é interrompida. E com uma visão até sensata dos acontecimentos (mais do que a de Mike), Dana pede para ele se afastar, pois enquanto estiver por perto, não terá lugar para o seu pai. Apesar de eu achar que o casamento entre Jess e Brody não tem muito futuro, Dana entendeu um dos sentimentos do pai ao voltar para casa.
Mas o episódio foi mesmo focado em Carrie e Brody. Os dois aparecem conversando no carro, ele conta sobre o caso de Jess, e eles vão beber e jogar sinuca num bar. Bem bêbados, Carrie acaba arrumando confusão com um neo-nazista que dá em cima dela. Os dois fogem e dirigem até uma cabana da família de Carrie. Ok, ela está bebada mas não é boba, enquanto Brody está longe, ela pega uma arma na cabana, a carrega e coloca num lugar acessível. Passar momentos num lugar isolado com um possível terrorista, sim. Mas não sem um pouquinho de proteção. Haha. Nessa parte, os diálogos entre Carrie e Brody são bem interessantes, eles realmente usam a bebida para se soltar. Até sobre mentira no polígrafo, ela pergunta. E ele diz o que já dava para imaginar, mentiu tanto para salvar a vida dele, que já é um mestre em mentir. Interessante também é abordagem sobre a noite anterior, onde Brody sugere evoluir o sexo no estacionamento para sexo na cabana. Ha.Ha.
No dia seguinte, somos apresentados a "novos" personagens. Brody e Carrie sóbrios, tentando entender o está acontecendo, agindo com uma certa timidez (com todas as travas que a bebida havia retirado nos encontros anteriores) e prometendo não consumir álcool no dia. È a parte do conhecimento mútuo, de adquirir intimidade. Com conversas a beira do lago, caminhadas, e até uma dinâmica na cozinha. É tudo tão romântico que nem parece uma série de espionagem. E há muitos diálogos, sobre assuntos íntimos, como família e sentimentos, e isso tanto da parte de Brody como de Carrie. Os dois parecem tão sinceros, apaixonados e felizes. Que é até estranho pensar no clima de desconfiança que deveria acontecer. Brody chega a contar que não consegue ficar com a esposa, mas com Carrie consegue, porque ele sente uma paz quando está com ela. E ela responde (de forma sincera, eu acredito) que sente o mesmo, e que isso é muito raro para ela. Na primeira noite dos dois sóbrios, Carrie beija as marcas no corpo de Brody. E eles fazem tudo com mais calma, apreciando cada momento. Durante o sexo, Brody se detém, e quando ela pergunta se ele quer parar, ele diz "No, I just want to live here for a second", logo após ele a olha por alguns instantes e continuam depois. É tão doce. Não há véstigios daquele sexo bruto que ele fez com Jessica, nem do Brody robótico, realmente parece outra pessoa. Ainda durante a noite, Carrie abraçada a Brody, acorda com ele tendo um pesadelo. Ela o acalma, dizendo que está tudo bem, e que ele que está com ela.O momento romântico final é no dia seguinte, Carrie acorda com Brody olhando-a com um belo sorriso nos lábios. Tudo muito bonito e romântico. Mas aí Carrie, comete um deslize, fala sobre o chá preferido de Brody e as coisas dão uma reviravolta.
Acho que os minutos finais desse episódio revelou e esclareceu mais coisas do que todos os episódios anteriores: Brody confronta Carrie, pergunta se ela o estava espionando. Com poucas palavras ela destrói a confiança dele,  ela estava trabalhando, ela sempre está trabalhando. E conta sobre todas as suas suspeitas, sobre a informação de que um prisioneiro de guerra havia mudado de lado, e que tem que ser ele, só pode ser ele.  Brody irritado propõe um interrogatório, onde ela podia perguntar tudo o que quisesse. Ele responde tudo, esclarecendo todos os indícios de que ele poderia estar trabalhando para a Alcaida. Conta que matou Walker sob a orientação de Abu Nazir, pois era a vida do amigo ou a dele, que se converteu ao islamismo, depois de anos no escuro ele se voltou para a religião e lá só tinha essa, os tais sinais suspeitos  com as mãos seriam um tique nervoso de quando ele está sem seus equipamentos de oração. Fala também de um guarda que era legal com ele, o porquê de mentir sobre Abu Nazir, pois depois de tanta tortura e escuridão, ele foi gentil com Brody, e por isso o sargento o amou, e se envergonha disso. Mas nega que seja um terrorista, não é herói, mas não mudou de lado. Pode ser que não tenha contado tudo ou tenha mentido, mas ele me pareceu verdadeiro. As explicações foram bem condizentes, além do que, Brody demonstrava emoções, e não agia como o robô do polígrafo. As suspeitas de Carrie e relacionamento com ela  pareceu trazer tensão e emoção para o personagem. Mas ela não acredita nele, a obsessão dela é enorme.
O telefone de Carrie toca, uma ligação de Saul, e Brody termina a sessão de perguntas. Saul conta a revelação de Aileen, Tom Walker está vivo, e é o prisioneiro que mudou de lado. Aparentemente ele deveria fazer um ataque ao presidente da casa de Aileen e Faisel.  
Brody já está indo embora, quando Carrie se desculpa, diz que estava enganada, e que o eles tiveram foi real, as partes importantes pelo menos. E ele, manda ela se foder de forma firme e direta. Haha. Muito bom isso. Ela merecia. Carrie fica na cabana chorando. Mas Brody também não está tão bem assim. Vai para casa, olha os filhos e a esposa. E depois chora no sofá. A relação que esse episódio construiu foi despedaçada no final. Triste, hein?
Os rumos da série mudaram completamente. Eu esperava algo assim só no final da temporada. Entretanto ainda faltam 5 episódios. Foi muito coragem dos realizadores do seriado fazer algo assim tão cedo. Muito bom! Mas me deu até um certo medo do que irá guiar a história agora. Ainda restam algumas dúvidas: apesar de eu acreditar que Brody e Ailleen disseram a verdade. Em Homeland, não dá para ter certeza. Outra coisa pendente, é quem é espião infriltado na CIA, e como Walker continuou vivo. São tantas reviravoltas, que nem sei como vou conseguir esperar o próximo episódio

10 comentários:

  1. O movimento da mão, e o tapete eu achava aquilo mesmo, que ele tinha apenas se convertido ao Islã, mas achei irreal o colega dele ter virado terrorista e ele sem saber, foi solto para confundir a CIA em um trabalho de contra-inteligência sofisticado demais para terroristas.
    Brody e Carrie moldados um para o outro pelos seus caminhos trilhados, criando uma relação mais forte que o casamento dele e a dedicação dela pelo trabalho, alguns chamam de destino.

    ResponderExcluir
  2. Achei muito bunitinho os dois(sóbreos) na cozinha da cabana.rsrsrsSó quero ver como eles vão ficar depois de suas confissões;mas pelo jeito ele vai voltar p a Jess. Prefiro ele c a Carrie...2 doidinhod.rsrsBeijinhos.

    Nezinha.

    ResponderExcluir
  3. Allan, o movimento da mão eu não tinha ideia, mas a oração no tapete, apesar de suspeita, eu achei que simplesmente ele poderia ter se convertido. Haha. Gostei dessa reviravolta. Agora a tendência é Brody ser inocente, mas em histórias de espionagem nada é certo e pode haver outra reviravolta. Acho que a única confiavel em não trabalhar para os terroristas é Carrie. Se bem, que eles podem inventar algo em relação a isso. haha, mas prefiro continuar confiando nela. Sim foi estranho Walker está, mas achei um virada bem inteligente, pois poucos pensaram nisso. E surpresa é a regra do negócio.

    ResponderExcluir
  4. Nezinha, foi bem romântico mesmo os dois na cabana, principalmente a parte sóbria, e na parte da cozinha, foi até engraçado ver Carrie agindo como uma adolescente aterrorizada e Brody convidando ele para o baile. Haha. Como ele e Carrie sempre agiram na surdina, como amantes, Brody volta para Jess e acredito que esses dois vão continuar mantendo as aparências, pelo menos por enquanto, mesmo que o casamento dos dois esteja muito ruim. Brody é o héroi. Agora se ele vai continuar a ter um caso com Carrie (no futuro) não sei. Os dois são bem interessantes juntos, mais verdadeiros e emotivos, gostaria de vê-los juntos novamente, (mas quem sabe não rola um recaída até o fim da temporada, haha)

    ResponderExcluir
  5. Fico na apreensão do novo plot para a proxima temporada, pois parece que pensaram que so iriam ter uma. Gostei do episodio tambem, trouxe muita coisa de uma so vez.

    Parabens pelo review

    ResponderExcluir
  6. !3runo, houve muitas revelações nesse episódio. Quanto ao plot fico querendo saber o que vai ser seguido ainda nessa temporada, já que ainda faltam 5 episódios, é muita coisa para uma reviravolta tão grande, esperava algo assim no fim da temporada. Quanto ao plot da proxima, acredito que eles irão arrumar um, mesmo que seja totalmente diferente, de qualquer forma se eles enrolassem essa história do Brody na proxima temporada ia acabar perdendo a graça. Podem fazer como 24 horas, onde cada temporada era meio que uma nova ameaça.

    ResponderExcluir
  7. O modo de contar do terço islâmico(nomes de Deus) é semelhante ao indiano e budista(mantras), que eu uso, por isso percebi, quem esta sem terço, usa os dedos...

    ResponderExcluir
  8. Allan, Eu não saberia atestar isso, pois não sou conheço muito dessas religiões.Mas é algo interessante, foi bom sabe, então a justificativa que o Brody deu faria sentido.

    ResponderExcluir
  9. Cíntia, é isso mesmo, e o Brody e a Carrie combinam tanto, tem uma química tão boa, que acho difícil esse encontro não virar um grande romance nos próximos episódios

    ResponderExcluir
  10. Também acho que os dois combinam. E gostaria de ver os dois juntos novamente. Mas não sei, depois do fim do último episódio que balançou tudo, quando (ou mesmo se) isso vai acontecer.

    ResponderExcluir