Busca no Blog

domingo, 19 de fevereiro de 2012

A batalha das fábulas: Grimm vs Once Upon a time

 Na última temporada estrearam  duas séries que usam como tema o mundo das fábulas conhecido por muita gente desde a  infância.  Recontar os contos de fadas de uma forma diferente é uma ótima ideia que foi muito bem desenvolvida em quadrinhos, dentre eles o excelente fábulas. No cinema isso já vinha acontecendo há algum tempo também. Assim, a televisão e seus seriados era o passo mais natural nessa tendência. Quando ouvi falar dessas séries, eu fiquei com grandes espectativas, sempre gostei desse "mundo" e já seguia excelentes trabalhos nesse sentido. Sei ,que essas histórias "infantis", podem realmente chamar a atenção e agradar também grande parte do público adulto que cresceu com elas, e de certa forma, ainda sente  aquela nostalgia, e tem um grande potencial para render ótimas histórias. Restava saber agora se essas séries alçariam esse potencial e se traria um bom divertimento. Assisti alguns episódios de "Grimm" e "Once Upon a Time", e tenho algumas coisas a dizer nesse sentido,  então o que posso dizer sobre elas? È possível fazer uma comparação entre as duas?
Grimm com seu título "original" força aquela impressão de que os únicos autores de fábulas são os irmãos Grimm, quando  há outros ( alguns ao meu ver bem mais talentosos do que eles), e os dois na realidade nunca assumiram a autoria dos contos, se posionando como compiladores de histórias populares. Voltando a série, Nick Burkhardt é um detetive que começa a ver coisas estranhas nas pessoas, e recebe a visita de uma tia que conta que eles são descendentes dos Grimms e que de certa forma, a família combate demônios, bruxas e outros seres sobrenaturais baseados em personagens de histórias infantis. Nick tenta se adequar a essa revelação, enquanto casos estranhos começam a aparecer e ele usa as suas habilidades especiais para caçar esses seres estranhos que vivem disfarçados no mundo, enquanto ele próprio, por ser um "Grimm", também começa a ser caçado e ameaçado por diversas criaturas.
Dessa forma a história se propõe trazer uma atmosfera de ação, suspense com pitadas de terror. E  é justamente isso que  traz. O problema é que ela  praticamente tem apenas isso, e após acompanhar alguns episódios eu me vi um pouco cansada com essa narrativa. Os efeitos especiais não são ruins, é verdade, mas a sua história não me fisgou.Burkhardt  é um cara bonito, e tal, mas achei o seu dia-a-dia meio sem sal, principalmente em relação a sua vida pessoal e seu romance chocho com Juliet, seria melhor que ele fosse solteiro, pelo menos, poderia rolar um interesse romântico de vez em quando. Também não simpatizei muito com seu parceiro. Os personagens mais interesses são o chefe de Nick, envolto em alguns mistérios e o "lobo mau", com suas ironias. Até onde eu vi,  a série se baseou muito em monstros da semana, com um ameaça diferente baseada em  uma fábula a cada episódio, mas sem muita ligação entre si. Assim,  não houve um grande foco em se criar uma mitologia ( uma história que guia a série), ou abordá-la,  sendo que isso visivelmente poderia ser colocado, considerando o seu tema. Tirando uma conspiração em volta de Nick, que é muito pouco abordada ( podia ocupar mais tempo em tela), não há nada que me deixou muito curiosa e guie a série para me fazer acompanhar os episódios. Não houve um caso da semana muito bom também, onde se pode falar, nossa! Os episódios seguem uma fórmula. E há alguns furos e coisas mal narradas. Assim,   estou, de certa forma, propensa a não continuar com a série, a menos que haja alguma mudança.
 "Once Upon a Time" já segue uma proposta diferente, sua trama se baseia mais na fantasia e em recontar as fábulas.  Na série a rainha má,  lança uma maldição e todos os personagens vão viver no mundo real, onde segundo ela, não existe finais felizes. Branca de Neve está casada com o príncipe encantado, e os dois conseguem livrar a filha recém-nascida, Emma, sendo que ela (segundo o vilão Rumpelstiltski) deverá voltar aos 28 anos para quebrar a maldição. Emma tem uma vida solitária,  ao completar 28 anos, recebe a visita de Henry, que conta ser seu filho, dado para adoção há 10 anos. Ele tem um livro sobre a maldição e  diz que mora em Storybrooke, e que ela tem que ir a cidade para quebrar o feitiço. Emma acaba levando o menino em casa, e lá conhece a sua mãe adotiva, Regina ( a rainha má), Branca de Neve (que é a solitária professora de Henry), dentre outras pessoas. E resolve ficar na cidade, sendo o primeiro passo para acabar com a maldição.
Essa série, diferente de Grimm, já tem uma trama central,  uma história que a guia, ou seja uma mitologia. E tem seus encantos. È interessante ver o seu desenrolar, e o contraste entre Storybroke e o passado. O príncipe encantado e Branca de Neve vivem separados, Geppeto deseja um filho sem nunca conseguí-lo, os 7 anões estão espalhados pela cidade, o espelho mágico é um jornalista, a Chapeuzinho vermelho é uma garçonete sensual, Rumpelstiltski é o homem mais rico de Storybrooke, a Rainha má é a prefeita que manda  em tudo, e outras coisas. A série prima também em recontar (mudando certos detalhes) algumas histórias e normalmente mostrar os acontecimentos no reino das fábulas, fazendo um paralelo com os acontecimentos atuais. Em certas partes é encantador, e há ótimos personagens, dentre vilões e mocinhos.  Do lados dos vilões, principalmente, a rainha má é ótima, e Rumpelstiltski, com suas ações dúbias , sem revelar exatamente o que quer, também é excelente. Dentre os mocinhos, há os romances, perdas, e também personagens bem simpáticos, como Branca de Neve e o príncipe. A série já mostrou bastante da sua trama, e as histórias de seus personagens principais. Mas vez ou outra mostra outros personagens como Ciderela e João e Maria, tentando de alguma forma conectar  tudo com a trama que guia a série. E claro há mudanças, gostei de umas, ainda mais quando colocam elementos sombrios, mas há outras que não me agradaram, como a feita com  João e Maria. Há ainda os efeitos especiais, que são muito ruins, com cenários, vestimentas, claramente mal feitos e falsos. Eles precisam melhorar muito nisso. Também estou com um certo medo dos próximos episódios. Acho que eles vão modificar bastante uma das minhas histórias preferidas, e isso me deixou com um pé atrás. Mas é bom ver a série, não é um "Fabulas", mas estou gostando da história, da dinâmica, dos personagens,  me encantando com ela, passando bons momentos. E pretendo continuar assistindo.
Bem entre as duas séries, sou claramente mais Once Upon a Time, que se encaixou mais nos meus gostos e apesar de alguns defeitos, é uma história leve e os seus roteiros tem sido bem criativos ao misturar as histórias infantis. È uma boa série e eu indico. Quanto a Grimm, essa não me fisgou, vi alguns episódios e ainda estou tomando coragem para ver os próximos. Quem sabe se eu ficar sem nada para fazer hein? Mas acredito que também vá do gosto de cada um, e creio que alguns podem gostar sim. De qualquer forma é interessante para quem gosta desse mundo de fantasia, dar uma conferida e formar a sua própria opinião. Eu fico com Once Upon a Time, mas quem sabe outros fiquem com Grimm?

11 comentários:

  1. Eu fico com Grimm, muito mais interessante e misteriosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso varia de gosto. No meu caso me cansei cedo de Grimm, e a abandonei (pode ser que ela tenha melhorado, não sei). Já Once Upon a time, estou acompanhando e esperando pela próxima temporada (apesar dos defeitos especiais, hahaha, sou mais ela)

      Excluir
    2. Poise assistir grimm é tipo ler um livro novo, ja once upon a time é um livro ja lido BJS

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Amooo Grimm estou anciosa para o retorno,o enredo é otimo e cada episódio é uma emoção diferente... Já once upon a time não me deixou tão fascinada,é meio que cansativo assisti-la.. Aquela branca de neve?
    Creio que ela na realidade era beeeem mais bonita do que.... aquela atriz que puseram.. Mas vai de gosto né, achei que iria encontrar aqui pros e contras só que ... não

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente vai de gosto mesmo, eu por exemplo não acho que um personagem por não ser um ator tão belo quanto se imagina, é um erro, um erro mesmo seria mais a falta de talento, mas como vc disse vai o gosto e a opinião mesmo.

      Excluir
    2. Concordo com você... Assistir Once Upon a Time é um conto ja vivido, mas Grimm parece que sempre tem algo a contar é que cada wesen é um geito diferente um modo diferente de derrotar, ja Once Upon a Time é mesma merda... ja ta na 4º temporada cada epsodio tem um wesen novo em alguns é o mesmo wesen tipo o do tribunal todo mundo ja sabia sobre os blutbadens, ja once upon a time quase sempre aparece o mesmo enrredo...

      Excluir
  4. Once upon a time é só os contos dos irmãos Grimm mudados os enredos, por isso fica intediante é tipo uma explosão de contos dos irmãos grimms ja grimm é tipo um livro novo que a cada dia acontece uma coisa especial, o problema é que é uma serie tipo CSI é uma serie que se repete em partes todo dia CSI tem um crime pra resolver, grimm tambem mas grimm muda o fato...

    ResponderExcluir
  5. OUAT além de mudar as histórias q já conhecemos melhor, nos intriga. Chapéuzinho vermelho sendo o próprio lobo mau, Peter pan mau e gancho bom, rumpelstiltskin mau pq já sofreu mt, branca de neve já foi uma ladra qnd era procurada pela rainha má, não é a fada azul q transforma Cinderela em uma princesa,e sim foi um acordo q ela fez com o rumple, saber q os anões da Branca nasceram p fabricar pó de fada,descobrir tb q os heróis não fazem o bem sempre, pq são humanos, saber q o rumple q tirou a mão do capitão gancho. É uma série surpreendente, cada termino de episódio da aquele gostinho de quero mais, só a partir da segunda temporada q começa q ação na série.

    ResponderExcluir
  6. Sugiro que assista mais temporadas de Grimm, e depois escreva novamente.

    ResponderExcluir