Busca no Blog

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Homeland - 02x12 - The Choice (Review - Final de Temporada)

Postagem episódio anterior: In Memoriam.

Um final de temporada  (ou um season finale)  memorável de arrebentar cabeças. 

>>>>> Spoilers Abaixo <<<<<<

Tudo começou calmo com Carrie e Brody indo à cabana do episódio “The Weekend”. Só que dessa vez a situação era diferente. Em clima de intimidade com conversas e carinho. Cada qual já entendia o outro, seus sentimentos, deixando as mentiras e segundas intenções para trás.

Depois de se livrar do peso de Nazir, Brody parecia entregue, disposto a se tornar um homem bom e enfrentar os problemas de Carrie, enquanto ela teria que decidir se ficaria com ele ou com o trabalho.

Mas havia mais coisas escondidas como Quinn no meio da mata a espera de uma oportunidade para matar Brody.

O primeiro momento de tensão acontece justamente quando essa oportunidade surge. Ver Brody ajoelhado fazendo suas orações enquanto Quinn aponta uma arma à cabeça dele, me deu medo pela vida de um personagem querido e cuja história parecia estar fadada ao fim.

Mas a resolução foi simples e interessante. Mesmo que por momentos a série ainda nos tenha deixado com dúvidas sobre o destino do ex-sargento. Por fim, apelaram para o lado humano.

Quinn demonstrou uma atitude bem legal ao procurar e ameaçar Estes. Pois aparentemente não vendo mais perigo no ex-sargento, realmente não faria muito sentido aquele assassinato que só traria vingança a David.

Na verdade, ele pareceu fazer isso mais por Carrie do que por Brody. Pois admirando as habilidades da agente, sabendo que a destruiria e que ela não merecia isso, ele tomou o lado da moça.

Com a ameaça a vida de Brody resolvida, a única coisa que parecia poder separá-los seria uma decisão de Carrie.

É interessante pensar que a vida de Carrie até aquele momento fora o trabalho e mesmo com a oportunidade de uma boa promoção oferecida por Saul (que finalmente saiu por cima depois de dias de cativeiro e interrogatório). Ela pensa em sua vida pessoal e em recusar a proposta.

Em relação à discussão de Carrie e Saul. Pode-se apoiar o ponto de vista de ambos. Pois os dois têm razão. Como ela pode sequer pensar em ficar com um terrorista? Como ele pode ignorar que ela queira ter uma vida além do trabalho e que Brody é o seu escolhido?

Essa relação pouco convencional dos protagonistas realmente dá o que falar. E eu até fiquei com certa pena de Saul (mesmo torcendo por Brody e Carrie), pois eu adoro o personagem, ainda mais quando se refere a seu relacionamento de pai com Carrie, e ele me pareceu bem desapontado na conversa.

Depois houve um paralelo interessante com dois funerais sendo mostrados. O fim de dois grandes vilões da série. E as diferenças nos rituais. Enquanto Walden era louvado e cercado de pessoas ilustres, Nazir era jogado ao mar, praticamente escondido do mundo e lembrado como uma força do mal.

O curioso é que o funeral do terrorista que mostrou sua face real ao mundo pareceu muito mais verdadeiro e honrado do que o de Walden. Já que o desse era cercado de hipocrisia e mentiras. Com momento Brody fingido incluso, já que o ex-sargento chega a consolar a viúva do homem que ele matou (é o Brody das antigas de volta, rs).

Mas Brody e Carrie não agüentam muito disso. Já que escapam durante um discurso hipócrita de Estes que louvava as “qualidades” e a ”integridade” do vice- presidente.

Com Carrrie decidindo por Brody. Eles pareciam ter chegado “quase lá”. Se não fosse pela grande virada do episódio.

Pois enquanto o corpo de Nazir era jogado ao mar, a CIA era “explodida” pelo finado terrorista, matando Estes, familiares do V.P., além de pessoas importantes ligadas a CIA, FBI e ao governo. Era esse o grande atentado que eu queria! E pode parecer sinistro, mas gostei de ver Estes morto (ele merecia!).

Essa explosão fez grande parte das peças se encaixarem. Pois eu estava até um pouco decepcionada com Nazir apostando todas as suas fichas em Brody (que nem era tão confiável), e sendo derrotado de forma tão fácil e leviana. Ele não era o grande terrorista? O mestre do planejamento e manipulação?

Ainda bem que havia um plano mais ambicioso encaminhado, e que Nazir realmente mostrou sua força, mesmo que tenha sacrificado várias pessoas e até ele mesmo.

Mas assim, a série ao mesmo tempo me enganou (pois apesar de querer, não esperava mais um grande atentado) e de quebra consertou um rumo que não me agradava. E dá-lhe, Homeland!

Outro ponto que foi tocado foi a dúvida em relação a Brody. Ele estaria participando/ciente desse plano?

As bombas estavam em seu carro, mesmo que antes da explosão ele alertara que estacionara em outro lugar (o que é verdade). Assim, quem mudou seu veículo de lugar? Quem mais estaria envolvido nessa conspiração? Isso é suficiente para acreditar que Brody é inocente?

Além disso, há o seu olhar estranho quando Carrie disse que ficaria com ele. Um olhar que demonstrava pesar. Podia ser por medo da “felicidade” que o aguardava, por não achar merecedor da confiança que a agente depositava nele, por não conseguir demonstrar mais esse tipo de emoção. Ou porque ele sabia/desconfiava que o plano de Nazir ainda tinha mais coisas. Há também o fato dele ter “entregado” a sua família a Mike em uma cena anterior.

Mas nada disso é definitivo, pois também há outros fatores, já que ele além de jurar a sua inocência (Brody participar ou não do plano faz sentido com o modo de agir de Nazir). Ele também não despediu de ninguém da família (como da vez anterior), nem mesmo de Dana com quem teve uma conversa reveladora e oportunidade, e agiu de forma muito tranqüila, o que acho que não aconteceria se escondesse algo assim.

Até mesmo aquela reação de surpresa/choque ao ver o seu vídeo “terrorista” divulgado na televisão com um novo líder da Alcaida assumindo as responsabilidades pelo ataque. E posterior preocupação em tentar se explicar a família pode indicar que ele não sabia de nada.

Aliás, muito boa essa jogada do vídeo, pois isso realmente detonou o nome dele. Foi uma vingança pesada da Alcaida contra o ex-terrorista traidor. E ahh, coitada da família de Brody, que vai penar como os parentes do terrorista!

Agora pensando em Carrie, ela até que reagiu rápido e bem ao atentado, mudando de reação (passando a acreditar nele) e correndo para salvar o seu amado.

Mas ainda acho que no fundo ela não acredita completamente em Brody (nem eu, apesar de torcer para o lado de que ele não sabia). E o fato dela desistir de fugir com ele, com o pretexto de limpar o seu nome é também uma forma dela provar para si mesma que ele é inocente e que ela depositou as suas esperanças de vida em alguém que merecia.

Claro que também não é do feitio de Carrie abandonar a CIA e Saul com a maior crise dos últimos tempos nas mãos. Ela sempre agiu por dever, para defender o país e os inocentes.

Apesar de que a segurança de Brody parece ter tomado uma posição à frente dessas noções, inclusive até acho que ela o ajudaria na fuga mesmo se soubesse que ele é culpado. Ela o compreende e o ama de uma forma que o resto seria relegado a segundo plano.

Ainda na despedida de Brody e Carrie. Há um tom de cumplicidade, com um entendendo os atos e motivações do outro. Com ela tentando ludibriar a realidade e fingindo que suas esperanças são mais prováveis(“não é uma despedida)”. Ele sensato encarando os fatos e deixando claro os seus sentimentos (“ foi amor”).

È o momento onde eles possivelmente encerram a sua história, ao menos essa parte de amor com jogo de espionagem. Ele com a imagem (para a sociedade) de bom moço e ela com a de louca acabou.

Pois agora assumirão posições diferentes, e seguirão trilhas separadas, pelo menos por enquanto. È doloroso (triste) para eles colocar um ponto final nessa trajetória, ainda considerando que horas antes eles tinham outras expectativas. Desistir é difícil.

Além disso, houve no fim a bela cena do reencontro de Carrie e Saul em meio aos corpos das centenas de mortos no atentado.

Como eu estava com pena dele enquanto ele pensava que sua pupila estava morta. Com expressões e olhares simples percebia que mesmo ganhando poder e agindo profissionalmente, Saul estava derrotado. E o seu sorriso final ao ver Carrie disse tudo, era a força e alívio que ele precisava para continuar. Como adoro os dois juntos!

Claro que há críticas sobre esse episódio e a temporada em geral. Alguns dizem que série perdeu o seu caminho. Dentre os fatores citam os acontecimentos relacionados ao plano terrorista de Nazir, a morte desse, o seqüestro de Carrie, o esclarecimento da relação entre Carrie e Brody, a perda da dubiedade de Brody.

Alguns desses, como a relação dos protagonistas e a dubiedade de Brody, não teria como se sustentar por muito tempo mesmo, devido inclusive ao formato da série, de narrativa mais pessoal com construção dos personagens e suas situações pessoais. Se continuassem nessa trajetória acabaria se tornando enrolação. Penso que nesses aspectos tudo foi construído de forma coerente e alcançaram bons resultados.

Referente ao plano de Nazir, a morte desse e etc., o que ainda me incomodava foi elucidado (corrigido) nesse episódio com a revelação de um plano maior (quesito técnicos de como isso ou aquilo, e blá, blá, blá, não me incomoda). Fiquei realmente satisfeita. Adorei , pois foi um plano bem montado e condizendo com o que falavam de Nazir.

Outra coisa é relacionada ao fato de Brody continuar vivo fugindo dos EUA (engraçado essa é uma discussão recorrente, já que no ano passado houve críticas quanto a ele não ter morrido no atentado). Dizem que pode ser uma forma que utilizaram para alongar uma história que deveria ser encerrada.

Independente de o personagem continuar na próxima temporada como principal ou não, aparecendo desde o início, a partir de um ponto ou nem aparecendo, já me acalma apenas o fato dele estar vivo. Eu me apaguei de verdade a Brody e vê-lo morrer me deixaria triste. Então já é um alívio saber que ele continua por aí.

Assim, esse episódio e temporada me agradaram de verdade. A série manteve ótimos ritmo e narrativas, montando situações e personagens complexos sem enrolar, e com base, surpreendendo muitas vezes até em situações previsíveis. È a melhor série que estou vendo esse ano.

Há ainda muitas dúvidas a serem sanadas. Novos elementos e narrativas que se anunciam. Muitos ganchos podem ser seguidos dando possibilidade a vários rumos. Esse novo líder da Alcaida ainda vai causar confusão? Como Carrie e Saul combaterão essa crise e essa Alcaida com nova liderança? Carrie conseguirá provar a inocência de Brody? Ele é inocente? Ele terá uma história na próxima temporada? Qual? Quinn aparecerá? Se arrependerá de não ter matado Brody? ... Ai, é tanta coisa.

Com certeza pretendo continuar acompanhando Homeland com dedicação na próxima temporada. Atualmente essa é uma das poucas séries que me prendem e fazem meu tempo valer à pena. È sempre muita tensão. Vou ficar “órfã” até ano que vem. Ai, como eu gostaria de poder ver a próxima temporada logo!

8 comentários:

  1. eu sempre comento aqui, mas essa semana nao consegui. vi teu comentário no orkut dizendo q tinha passado em branco e nao pude deixar isso acontecer! :)
    já nao está mais em branco!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Robson, já estava achando que não tinham gostado dessa review e que não teria nenhum comentário, ainda mais que o season finale foi incrível. Valeu por não ter deixado o post sem comentários e espero que tenha gostado do texto e do episódio,

      Excluir
  2. Oiiiii....estou aqui tb. lindinha. Como sempre vc. escreve com tanto amor e carinho sobre Homeland, e do nosso casal de doidinhos, que eu fiquei emocionada com alguns trechos dessa review. Pena q terminou a temporada. Agora vamos ter q esperar, esperar e esperar...rsrsrs Mas valeu. Adorei ver os 2 juntos. A despedida. O jeito q ele falou, foi amor...o Adeus, love....ai q bonitinho. Mas eu sou suspeita p falar deles, pq msm não confiando nele, eu la no fundo acho q realmente ele gosta dela, e não teve culpa desse atentado. Ahhhh...a unica coisa q eu não concordo com vc., é a respeito do Quinn Latifa.rs Tb. não sei pq eu não gosto dele, mas acho q ele tem um plano B p Brody. A voz do Saul, qdo falou com Mira, ficou totalmente diferente de tanto dor q ele estava sentindo pela "morte" de Carrie. O sorrisão dele foi lindo msm. Ele parece com o meu tio.rsrs Por isso eu gosto tanto dele.rsrsrs Queridinha, espero q o seu Natal seja maravilhoso e q vc. tenha um ano de 2013 cheinho de momentos felizes. Beijinhos e até 2013.=(´,`)=

    Nezinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. È mais uma temporada chega ao fim e Homeland vai deixar saudades até o ano que vem, que espera demorada, hahaha, chega logo fall season 2013, hahaha. O casal de doidinhos? Hahaha. Também sou suspeita para falar, adoro, e tb tenho certa dúvida sobre Brody (assim como Carrie que tão disse que ela o teme, acho que esse é um dos motivos dela ser apaixonada e não enjoar dele), mas penso que na verdade o que ambos sentem é amor, e é verdadeiro. A despedida foi linda mesmo até que porque eles tiveram de enfrentar a verdade e Brody foi mesmo romantico, com "o foi amor", e o tchau Love, foi a primeira vez que ele se referiu a ela assim, e logo quando esperam acabao, triste e bonito. Saul é outro que me traz sentimentos fortes, o jeito de paizão dele, ele ficou arrasado com a "morte" de Carrie, ele realmente parece se importar com ela. Além de tudo Saul parece ser o personagem mais integro da série. Quanto a Quinn a verdade é que prefiro não pensar nos efeitos dele e na participação na proxima temporada, ele é um personagem muito novo, com poucos dados para analisar, então prefiro não sugerir um rumo a ele (e na verdade ele nem precisa mais aparecer), é por assim dizer, não me sinto muito confortável ainda para dizer e não consigo sacar qual é a dele.
      Obrigada pelo comentário e elogios, um feliz Natal e Ano Novo,e se Deus quiser até 2013 (vou sentir saudades de debater sobre Homeland aqui até lá)

      Excluir
  3. Cíntia, seu amor por Homeland é lindo de se ver.
    Acho muito chato quando entro em outros blogs, como o Série Maníacos e só vejo críticas à série.
    Poxa, eu sei que não é perfeita, mas quantas séries conseguem a qualidade dela? A série é sensacional!
    Como fã, queria te fazer algumas perguntas, você pode responder?
    1ª: O que acha do romance entre Brody e Carrie? Isso atrapalhou a série?
    2ª: Você acha que essa temporada foi mais de ação e menos de ideologia?
    3ª: Te incomodou esses erros da série(como o do marca-passo) e você acha que a série não é mais "tão real" como antes?
    4ª: O que você espera da 3ª temporada? Tudo ter mudado te assusta?
    É isso, até 2013! Foi ótimo ler suas reviews.
    Feliz Natal e Ano Novo cheio de tudo de melhor! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, realmente minha paixao por Homeland é grande. E essa visao de que as coisas devem ser perfeitas as vezes pode ser ou um rumo que pessoalmente desagrada ou exigencia demais, ja que nada eh perfeito. Vou as respostas:
      1. Eu adoro o romance de Brody e Carrie, na verdade a serie me viciou mesmo quando houve uma aproximacao dos personagens nos episodio 5,6 da primeira temporada. Sei que as coisas mudaram um pouco na temp 2, mas acho que o desenvolvimento do romance deles foi algo coerente (ja que nao tinha como ficar enrolando e duvidando sempre), desenvolveu de uma maneira legal e gostei do rumo e resultado da historia deles.
      2. Nao sei bem o que dizer.Se pensar eu não direi que houve mais acao, mas com um grande atentado bem sucedido pode se dizer que houve mais resultados, mais mao na massa. Na temporada anterior houve a conversa politica e apresentacao da ideologia dos terroristas e cia, houve mais coisas nesse sentido mesmo. Mas nessa isso nao foi esquecido tb pois teve alguns fatos e conversas interessantes. A forma que Carrie conseguiu quebrar Brody foi de maneira ideologica e sentimental, o fato de Estes armar o assassinato de Brody, mostrou certos podres da CIA, a conversa de Carrie e Nszir, e a propria morte do terrorista foi ideologica.
      3. Eu não me incomodo com detalhes que considero pequenos (o do marca passo nem considero um erro), como isso foi feito, como fulano chegou em tal lugar, como descobriu tal informacao (como Nazir chegou aos EUA, por exemplo). Muitas dessas coisas nós mesmos podemos achar as maneiras, basta pensar. Nao acho que Homeland tenha se tornado menos realista por causa de detalhezinhos, ela montou o `seu mundo` e continua coerente dentro dele. Se vc pensar na temporada anterior aconteceram coisas que tb nao eh 100% condizente com a realidade.
      4. Eu espero que a próxima temporada seja muito boa, que a série continue fazendo sua trama e personagens com suas bases fortes e nao tome solucoes faceis e incoerentes apenas para movimentar as coisas e fazer um murmurinho, que respeite a narrativa e a série que é (tenho escutado algumas teorias em relacao a tramas e personagens e algumas me dao medo,pois tranformam Homeland em uma 24 horas, e homeland nao eh 24 horas, ela tem identidade propria, espero que Homeland continue sendo Homeland). As coisas terem mudado nao me assusta, me anima pois mostra que a serie tera que se reinventar e nao enrola, o que me assusta sao essas teorias que tenho lido em comentarios, pois quero que Homeland continue respeitando as suas bases.
      Feliz Natal e ano novo, Obrigada pelos elogios e comentário,

      Excluir
  4. Muito boa a review, meus parabéns.. Lendo ela lembrei de algo. Na conversa de Nazir e Carrie ele deixa claro que morreria por um atentado. Pra um bom entededor meia palavra basta. Serie sensacional. O Presidente tava na no atentado? Afinal esse Presidente não aparece nunca? Kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Nazir disse muitas coisas na conversa com Carrie, e algumas deu medo como aquela coisa de que sempre haverá alguem para lutar pela causa dele com sua vida. Aquela ideia de luta eterna ou até a extinçao dos EUA. Medo.
      Olha acho que o presidente eh o Obama mesmo hahaha, entao nao acredido que ele aparecera alem da apresentacao, mas mesmo se for outro, parece que ele nao morreu no atentado.
      Obrigada pelos elogios e comentários,

      Excluir